Estudos

cidadania Associação dos Amigos das Forças Armadas 1

Cidadania para a Defesa

Justificação do Projeto

 A consideração de que todos os cidadãos têm o direito à segurança e o dever de criar condições sociais e públicas de cidadania e segurança, bem como o da defesa da Pátria através da sua incorporação nas Forças Armadas é direito e dever fundamental de todos os povos lusófonos, previsto constitucionalmente.   

Tal fato incita-nos à abordagem e análise dos fenómenos de violência e conflito, com o fim de promover ações de formação nos domínios da defesa nacional, segurança, dos comportamentos cívicos e na prevenção da violência e riscos. Tal propósito requer a compreensão desses fenómenos com o objetivo de proporcionar, ao nível da formação, o desenvolvimento de competências de prevenção de riscos, de resposta aos mesmos e de condutas de segurança e cidadania em diferentes contextos. Com o objetivo de promover em Instituições de Ensino Superiora formação pessoal e coletiva ao nível dos valores, conhecimentos, aptidões e competências para uma ação cívica, o projeto que aqui se apresenta tem como fundamento os princípios ético-jurídicos do Estado de direito, os valores democráticos e de cidadania, os direitos humanos, o multiculturalismo, visando a compreensão dos fenómenos de violência e da problemática da segurança, de modo a encarar modalidades de favorecer a segurança e confiança e saber responder adequadamente a situações de agressões externas, violência social e moral e de conflito.

Em suma, propõe-se a abordagem e tratamento de temáticas e problemas relativos à agressão á soberania, violência, conflitos e segurança, tendo em vista uma formação avançada para a cidadania e práticas cívicas que passa pelo debate e transmissão de conhecimento nestas áreas específicas.

Princípios orientadores do projeto

Os princípios orientadores que regem o presente projeto assentam na consideração dos valores interpessoais e sociais, com particular atenção à autonomia e segurança do indivíduo, à justiça, à responsabilidade e à cidadania, em suma, aos direitos humanos e à paz social. Daqui decorre o propósito de formação e orientação que promovam o desenvolvimento de competências individuais, interpessoais e sociais de cidadania ativa, mas também a atenção em considerar a variedade de perspetivas de análise dos fenómenos referidos, dada a abrangência, complexidade e mesmo transversalidade dos temas e questões em estudo.

 Em função do propósito e dos princípios enunciados, propõem-se as seguintes linhas orientadoras:

- Abordar numa lógica de multidisciplinaridade e transversalidade dos saberes, questões que requerem os contributos da sociologia, da ciência política, das psicologias clínica e social, do direito e das ciências da comunicação;

- Identificar questões, delimitar problemáticas, apontar orientações e avaliar propostas;

- Construir uma visão global das especificidades nacionais e dos problemas na área da Defesa Nacional, segurança e prevenção da violência como pressuposto para o pleno exercício da Cidadania.

Objetivos

Em termos de objetivos gerais, pretende-se habilitar os estudantes universitários com ferramentas de análise, compreensão e intervenção em situações de agressão externa, violência e crise, assim como dotá-los de competências reflexivas e práticas de cidadania;

Explicar conceitos e aplicá-los, atualizando-os numa perspetiva inovadora; criar sinergias de intercâmbio de conhecimentos e saberes, de atuações, de modos de intervenção tendo em vista a defesa nacional, segurança e as práticas de civilidade na vida pública.

Em termos de objetivos específicos, pretende-se promover a compreensão da importância do valor da relação com os outros, da adesão aos valores e normas sociais e do uso de regras de convivência nos diferentes grupos e meios sociais.

Aumentar a capacidade para a compreensão, intervenção e resolução de situações de conflito de forma não violenta. Desenvolver a capacidade de identificação de comportamentos de risco e incentivar atitudes de prevenção. Promover competências para agir adequadamente face à agressão. Desenvolver uma cultura de segurança e habilitar para a autoproteção.

Fundamentação

Consideram-se quatro eixos estratégicos de abordagem: a defesa nacional e segurança, a violência e a cidadania, em torno dos quais se desenvolverão os temas a tratar nas sessões de formação.

Defesa nacional, segurança, violência e cidadania; Ver página respetiva

Áreas de estudo; Ver página respetiva

Conteúdos; Ver página respetiva

Estratégia; Ver página respetiva

 

 

 

 

 cidadania Associação dos Amigos das Forças Armadas 2

Reserve a sua participação.

Cidadania na Defesa e Segurança Nacional

Um projeto de investigação e formação na CPLP e Europa

Envie-nos o seu artigo

Deseja ver o seu artigo publicado na Associação dos Amigos das Forças Armadas Portuguesas? Envie-nos o seu artigo por através de email para: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. . Após ser revisto e aprovado procederemos à publicação.